E quando design, energia e informação estão ao dispor numa árvore? Entrevista: Luís Marinho (VTreeSo

A temática da sustentabilidade e acesso à informação ontime e sem quaisquer tipo de cortes são cada vez mais potenciadas pela geração que agora entra na fase adulta - são estes os principais consumidores de festivais de música e os clientes que mais facilmente tirarão proveito de um novo projeto que entrou recentemente em Portugal, a VTreeSolar, mas que pretende ser de acesso global. Falámos, com o Country Manager de Portugal, Luís Marinho.

APORFEST: Em que se caracteriza o projeto VTreeSolar?

Luís Marinho: A VTreeSolar é um projeto de mobiliário urbano inteligente que assenta sobre dois grandes pilares: democratização do acesso à internet e a utilização de energias renováveis. Como é sabido, estes dois conceitos são extremamente poderosos e permitem resolver problemas nos mais variados níveis de desenvolvimento. O nosso projeto parte desses conceitos de internet e auto-suficiência energética, relacionando-os com o tema da mobilidade eléctrica, dinamização de espaços urbanos, interactividade com transeuntes, tornando-se mais um objecto ligado à rede, podendo oferecer dados/informações ao seu gestor. Este projeto advém de uma startup com base no Brasil, Roménia e Portugal, criada por 4 amigos com paixão e mentes criativas que pretende desenvolver novos produtos de mobiliário urbano de design inovador para smartcities providenciando serviços diversos aos utilizadores tais como wi-fi, carregamento de veículos leves e de telemóveis enquanto absorve e trata dados/informação para os seus clientes (câmaras ou marcas).


Onde está a ser já aplicado? Quais os primeiros clientes?

A VTree foi fundada, em 2015, na Roménia, onde fabricámos e testámos os primeiros protótipos. O reconhecimento dos utilizadores e da comunidade foi instantâneo tendo recebido vários prémios de inovação, design e solicitada a sua participação em diversos eventos. Dos concursos em que participamos no último ano, os mais relevantes foram:

Jun/16 – FAZ-IOP 2016 - Fundação Calouste Gulbenkian / UCP / Cotec, onde ficámos em 2º lugar.

Out/16 – Smart CityIndustryAward for Data&Tech (Roménia), em que vencemos o prémio de 1º lugar.

Out/16 – EDP Open Innovation / Expresso, onde ficamos entre os 15 finalistas.

Dez/16 – Meffys (Inglaterra), ganhamos o prémio de inovação em IoT.

Em Novembro, do ano passado, fomos selecionados no programa Alpha do Websummit.


As nossas prim