Área Científica: O contributo do arquiteto na criação dos festivais de música em Portugal

03/05/2017

 

Arquitetura e Cenografia são dois conceitos já abordados em diferentes pontos editoriais da Aporfest e hoje partilhamos o conceito do Efémero, trabalhado em diferentes festivais portugueses - Vilar de Mouros; Rock in Rio Lisboa; Nos Alive; FMM Sines; Super Bock Super Rock e Meo Sudoeste, entrevistas e com uma parte prática, através de uma residência artística na cidade de Sines, num trabalho académico com vista à obtenção do grau de Mestre de Arquitetura, composto por um total de 372 páginas.

 

Resumo:

Neste trabalho aborda-se a possibilidade de os festivais de música integrarem o campo da Arquitetura em partilha solidária com o campo da Cenografia. Aqui são definidos e tratados conceitos entendidos como fundamentais para o estudo e enquadramento do tema, tais como, entre outros: o de Efémero, associado à Arquitetura Efémera; e o de Festival. Neste âmbito reavaliam-se algumas matérias como luz e som, abordadas de forma distinta da arquitetura comum. Este trabalho pretende por fim contribuir para o estabelecimento de uma metodologia de abordagem do tema, até agora inexistente, o que passa pelo levantamento e caracterização de casos, constituindo-se fichas que poderão vir a constituir uma base de dados estruturada com a informação e os dados recolhidos sobre os festivais tratados, para um futuro estudo mais profundo e elaborado.

 

 Créditos: Geira Design (Neopop'2015)

 

Palavras-Chave: efémero; arquitetura efémera; cenografia; festival; música

 

Graça, A. R. (2016). O contributo do arquiteto na criação de festivais de música. ISCTE-IUL.

 

*Artigo original disponível aos associados (todas as modalidades)

Please reload

Notícias em destaque

Alterações ao Código de Trabalho na contratação colaboradores: Antes vs. Agora

December 11, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes
Please reload

Arquivo
Please reload