Cruzamento cultural enriquece o Poeiras. Entrevista: António Terra (diretor artístico)

10/08/2017

Acontece em setembro a 2ª edição do Poeiras, um festival, de entrada gratuita, que se baseia na música em todas as suas atividades, mas em que os cruzamentos culturais (e.g. leituras; oficinas; atividades para crianças) são a sua mais-valia e diferenciação no panorama desta área em Portugal. Falámos com António Terra, mentor e diretor artístico do Poeiras.

 

 

APORFEST: Vem aí a 2ª edição do Poeiras. O que podemos esperar?

António Terra: Um upgrade da 1ª edição. Em termos de conceito, o Poeiras mantém a mesma linha criativa: Língua e Cultura de Expressão Portuguesa.

 

Poesia, música, dança, contos e jogos tradicionais, gastronomia, artesanato entre outras atividades. Existem duas ou três novidades: este ano no palco principal, para além do projeto “Deixem o Pimba em Paz” (Bruno Nogueira e Manuela Azevedo), que se apresentam na abertura, dia 08 / sexta-feira, e da Aline Frazão, que nos apresenta seu último trabalho“Insular” no dia 09 / sábado, teremos no domingo de encerramento o “Eletropoeiras”, uma tentativa de ir ao encontro da geração milénio com aquilo que chamamos “eletrónico em português”. O Poeiras apresenta o DJ internacional Ricardo Imperatore que trará convidados numa noite que será surpreendente, para além de prometer divertimento. No Poeirinhas também teremos bastantes novidades, graças em parte ao apoio oferecido este ano pelo Simas Oeiras e Amadora. Pelo mesmo motivo teremos este ano a novidade do Táxi Poeiras, um conjunto de carrinhos de golfe disponibilizados para transportar gratuitamente as pessoas com dificuldades de locomoção, grávidas ou, caso estejam disponíveis, público em geral. No ano passado dizíamos “Imperdível”. Este ano dizemos “Imperdível, mesmo."

 

O que pensaram em questões de evolução e surpresa para com o público do festival?

A surpresa é o grande desafio visto ser a segunda edição. Mas a organização está empenhada em tornar a surpreender. Quem não veio ano passado, vai sempre ficar maravilhado porque serão realmente três dias bem passados, integralmente pensados para toda a família. Quem já veio vai ser surpreendido com as novidades que teremos para oferecer.

 

Quando aglutinaram a escrita, a música e outras formas de arte. Viram uma área pouco explorada nos festivais portugueses de aglutinação dessas áreas?

Sim. Na verdade, a tendência é mesmo a separação das artes. Festivais de música são disso mesmo, festivais de palavra ou de teatro são só de palavra e de teatro. O nosso é um festival de cultura “em português” que foi pensado para toda a família ter um programa e que procura não apenas resgatar a cultura mas também a tradição de experienciar o parque e o ar livre. 

 

O que podemos esperar nos próximos 2-3 anos de Poeiras?

Crescimento, inovação e a certeza de aumento de público e de entidades que apoiem o evento. Porque a programação é centrada no público e isso tende a gerar satisfação. Depois já se sabe como é: cada pessoa satisfeita retorna com 3 ou 4 amigos.

 

Como é a vossa relação com o Município de Oeiras?

A relação é ótima. Oeiras é a causa do festival ser tão centrado no público porque é - desde há muitos anos -  uma câmara muito centrada no munícipe, daí ser um dos concelhos com maior qualidade de vida de Portugal. Tem sido muito mais do que um apoio financeiro ou logístico. A equipa deste município está do lado do Poeiras desde o primeiro minuto, cada departamento tem se comportado como se o Festival fosse de todos eles, o que aliás se tornou verdade - é mesmo um festival democrático, cujos méritos recaem sobre todos os que o ajudam a acontecer.

 

De que forma a Aporfest poderá ser um apoio de evolução do festival?

Como tantos parceiros, a Aporfest apoiou o Poeiras desde o primeiro minuto. Para não falar do resultado evidente desse apoio, que é a sua divulgação, teve o mérito indireto de dar a todas as pessoas da Quanta e Redbridge (os co-produtores), um enorme capital de confiança para termos vontade de fazer mais e melhor. Por tudo isso o Poeiras deseja que essa ligação à Aporfest se perpetue e por tudo isso o nosso muito obrigado.

 

 

Tags:

Please reload

Notícias em destaque

Alterações ao Código de Trabalho na contratação colaboradores: Antes vs. Agora

December 11, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes
Please reload

Arquivo
Please reload