A valorização da música e estar junto do público dos festivais. Entrevista: Rita Pinho Branco (Dir.

A Associação Mutualista Montepio é uma das marcas com maior ligação à música portuguesa e às suas raízes, como o fado. Nos últimos anos esta ação estratégica tem também sido exponenciada por uma ativação junto dos festivais (ora através de patrocínio, ora por posicionamento com o público), aproveitando o lado comercial da entidade mãe e também o lado de potenciação cultural que esta tipologia de eventos representa. Esta semana inicia-se o Nos Primavera Sound, o 2º festival de 2018 em que a marca está presente. Falámos, por isso, com Rita Pinho Branco, a atual diretora de comunicação e marketing da marca.

APORFEST: Porque pretende a Associação Mutualista Montepio estar associada e presente nos principais festivais portugueses?

Rita Pinheiro Branco: A Associação Mutualista Montepio (AMM), com os seus mais de 620 mil associados,é a maior associação portuguesa e uma das maiores da Europa. Por outro lado, é uma das principais entidades portuguesas no apoio aos músicos e à música que se produz no nosso país. Estas duas dimensões, quando juntas, encontram nos festivais portugueses um ambiente da maior relevância, seja porque nos permitem estar tão próximos quanto possível das pessoas e dos seus interesses, seja, também, porque constituem um ambiente ideal para cumprirmos a intervenção cultural que estes eventos sugerem.


Em que festivais vão estar presentes?

Este ano, voltaremos a estar presentes no NOS Primavera Sound (que começa esta semana), no NOS Alive, no Vodafone Paredes de Coura, Panda e os Caricas e no Montepio Fado Cascais, do qual somos naming sponsor, à semelhança do que aconteceu com o Festival Montepio Às Vezes o Amor, realizado em fevereiro deste ano, por ocasião do Dia dos Namorados.

Como foi feita a vossa escolha (uma vez que segundo o nosso estudo existiram 272 festivais de música em Portugal no ano passado)?

A seleção responde a um conjunto alargado de critérios, de que constitui exemplo a adequação dos cartazes ao perfil dos nossos associados, a abrangência/cobertura em termos nacionais (a título de exemplo, o Festival Montepio Às Vezes o Amor permitiu-nos estar presentes e levar música e os artistas portugueses a mais de uma dezena de cidades, em todo o País), a natureza de cada evento e a sua proximidade aos nossos valores e à identidade da nossa Instituição, a valorização da música e dos artistas nacionais

De que forma vão efetivar a vossa presença - stand, segmentação de público a que pretendem chegar, reter a atenção deste? Será igual para todos os festivais?