Três anos de união com a Inatel fortificam o FMM Sines

19/06/2018

O dia de aniversário da Fundação INATEL (83 anos), foi também o dia de apresentação oficial do programa que assinala os 20 anos do Festival Músicas do Mundo (FMM Sines), o festival com o qual a Fundação INATEL se identifica e cria laços desde 2016.

 

Este é um ano de história e de se fazer história para o Festival de Sines, e para anunciar o maior cartaz de sempre, foi o Teatro da Trindade (em Lisboa) o local escolhido para dar a conhecer os 58 artistas de 40 países  que vão trazer a cultura e a música aos palcos de Porto Covo e Sines de 19 a 28 de julho.

 

Desde o Líbano com a Yasmine Hamdan, artista que atuou no pretérito Ciclo Mundos passando pelo Mali, Etíopia, Gana (e.g. Guy One), Santiago, Colômbia, Brasil (e.g. Tulipa Ruiz), Hungria, Polónia, Venezuela, Portugal e Cabo-Verde (e.g. Bulimundo), com os mais variados artistas, são muitos os credos para serem vistos pelo público. A variedade e contrastes continuam a fazer a parte da identidade do FMM - uma identidade, confessada pelos seus executantes que muitos já quiseram «roubar».

 

 Créditos: Maria Costa

 

«Temos resistido a vender a marca FMM», palavras de Nuno Mascarenhas, Presidente da CM Sines durante a conferência de apresentação do festival. Já o presidente da Fundação Inatel indicou que "(…) nós temos feito um discurso de encontrar parceiros, agentes capazes de transbordar estas ideias (da música multicultural no FMM) para a dança e para o teatro, que seja capaz de pegar na tradição dos povos e ter projetos renovadores capazes de captar públicos inter-geracionais e desafiámos o Festival Músicas do Mundo a fazer parte deste agentes por perceber que há essa componente e trouxemos esta ideia para Lisboa para o Teatro da Trindade Inatel com o Ciclo Mundos», o que leva na persistência da parceria.

 

Dos concertos programados para o Festival Músicas do Mundo, a maioria será de entrada livre - uma filosofia que se mantém desde o início. Os primeiros quatro dias de música (19 a 22 de julho) acontecem no Largo Marquês de Pombal, em Porto Covo, e os dias restantes (23 a 28 de julho) passam-se, em vários palcos, no centro histórico de Sines.

 

De Portugal estarão presentes, Susana Travassos, Fogo Fogo, Scúru Fitchádu, que realizaram pequenos showcases nesta apresentação. Aldina Duarte, na abertura do FMM em Porto Covo, Sara Tavares e os Live Low, também fazem parte do contingente português.

 

Para Carlos Seixas, diretor artístico do festival desde o seu nascimento, "apesar de passados 20 anos desde o primeiro FMM, ainda continuam a haver barreiras de artistas com origens africanas, asiáticas e árabes a Portugal, ainda vivemos numa Europa muito fechada. Ainda este ano, os Konono n1 não obtiveram visto por causa dos problemas que existem no Congo e não podem atuar no festival".

 

O FMM Sines, em 2017 recebeu o selo "EFFE Award", atribuído pela Associação Europeia de Festivais e o prémio de "Best cultural Programme" nos Iberian Festival Awards.

Please reload

Notícias em destaque

Alterações ao Código de Trabalho na contratação colaboradores: Antes vs. Agora

December 11, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes
Please reload

Arquivo