Sinergias a norte de Portugal com o Prestoso Fest. Entrevista: José Luis Rodríguez (produção)

Realiza-se nas Astúrias, a norte de Portugal, o Prestoso Fest. Vai receber bandas portugueses e procurar criar sinergias ibéricas para profissionalizar o mesmo e para ganhar novos públicos. Entrevistámos um dos elementos da organização, em virtude deste ser um dos motes dos Iberian Festival Awards e por ser aí que a edição de 2019 terá lugar.

APORFEST: O que é e o que representa o Prestoso Fest?

José Luis Rodríguez: O Prestoso Fest é um festival diferente em que a música é o cerne mas em que temos em conta os aspetos que nos rodeia, como o ambiente e a gastronomia. Nos dias do eventos oferecemos um conjunto de atrativos que superam aquilo que zona das Asturias nos dá. Um festival próximo, cómodo e que deixa o stress e as massificações para trás.


Qual é a principal diferença entre a edição de 2018 e as anteriores?

Este ano demos um salto qualitativo em diferentes aspetos. Temos um novo palco principal de primeiro nível e passamos a ter um palco secundário além de uma festa de recepção no primeiro dia no "Parador de Corjas" e uma festa de despedida em Xendré. São quatro dias de um festival com mais meio técnicos, mais bonito para o espectador e sobretudo com mais atividades e concertos que os anos anteriores para que durantes estes dias as pessoas venha estar connosco e realizem sempre alguma atividade.


Qual a percentagem de público que tem de fora de Espanha? E que parte da audiência é portuguesa? Como fazem a ligação para terem público internacional?

Nas primeiras edições percebemos a presença de público estrangeiro, nomeadamento o português. Tradicionalmente quando um promotor de um festival de música pensa em "estrangeiro" está a olhar para o Reino Unido, França...e nós decidimos apontar para Portugal pois estamos a 3,5 horas da fronteira e a 5 horas do Porto. Além disso, a cena da música portuguesa está a crescer com um monte de bandas muito interessantes e queremos servir um pouco de plataforma para se afirmarem no mercado espanhol - este ano temos os First Breath After Coma no nosso alinhamento. Queremos fazer laços cada vez mais fortes com Portugal até porque somos amantes dos vosso festivais como o Nos Primavera Sound e o Paredes de Coura.


Que pontos destacam da vossa programação? O que vos torna únicos?

Sem dúvida que o local onde o festival se realiza, em pleno Parque Natural é algo único. É algo que faz as delícias dos que nos visitam e o nosso recinto tem vales, montanhas e bosques e isto faz com que o ambiente seja mágico. A isto soma-se a sensação de companheirismo e amizade entre a organização, bandas e público que faz que se esqueça que somos um festival de pequena dimensão. Ia-me esquecendo da nossa mascote e que estamos na Res