Artigo Científico: Cenário lucrativo no Deserto - a economia do Burning Man

29/08/2018

O Burning Man é atualmente um dos festivais mais famosos do mundo. Tudo começou com um ritual ao anoitecer quando um pequeno grupo de amigos se juntou para cantar enquanto se ardia uma fogueira na praia de San Francisco em 1986, não se esperando que se tornasse num evento icónico após vários anos. A edição de 2018 está a realizar-se agora e durará até 9 de setembro atraindo mais de 60 mil espectadores e gerando receitas superiores a 8 milhões de dólares advindas de bilhética e doações. Este estudo pretende: analisar e relacionar a economia do festival relatadas e colecionadas de mais de 500 questionários realizados entre as edições de 2012 a 2018; verificar que o festival vai muito além que uma junção da comunidade hippie cheia de álcool e drogas; perceber o porquê de ser lucrativo e exclusivo baseando-se na qualidade proporcionada ao público que o visita, advindo dos EUA e de muitos outros países.

 

Um típico Burner (nome que se dá aos frequentadores do festival) tem como perfil: idade pouco acima dos 30 anos, masculino, com grau académico diferenciado e com um salário anual a rondar os 100 mil euros.

 

 

 Créditos: Psicodelia.org

 

As conclusões do festival determinam que o festival, localizado no Deserto do Nevada, não é boémio como muita imprensa o refere existindo um conjunto de razões díspares para a sua ida. Este é lucrativo desde há várias edições mas cada vez mais caro para o público (ver quadro que compara as edições e o aumento do preço dos bilhetes, nomeadamente desde a introdução do sistema de lotaria, em 2012). O público pretende estar presente para sair da sua rotina diária, destacando-se os grupos de festivaleiros advindos das elites organizacionais de hoje [e.g. Google, Amazon] mas também como uma espécie de viagem de uma vida que antecipará uma mudança num dos planos - pessoais, familiares ou profissionais. O Burning Man é hoje mais que uma tendência, é uma referência em termos de festivais que juntam música, arte e alojamento no recinto para o seu público. Aquilo que é hoje em nada se compara às primeiras edições, conseguindo evoluir e gerar um legado de seguidores cada vez maior e que lhe dá uma publicidade mais forte que a gerada por qualquer marca ou meio de comunicação.

 

 

Palavras-Chave: Burning Man, festivals, art, public events, self-reliance, radical expression

 

Strielkowski, W. (2018). Lucrative Circus in the Desert: Economics of Burning Man. Department of Agricultural and Resource Economics, University of California, United States.

 

*Este e os mais recentes artigos científicos originais estão disponíveis aos associados na área reservada.

Please reload

Notícias em destaque

TALKFEST'20 | Quarta vaga de oradores; Falta uma semana para o fim das candidaturas aos Iberian Festival Awards

November 13, 2019

1/10
Please reload

Notícias recentes
Please reload

Arquivo
Please reload