Galp reforça a sua presença no mercado dos festivais. Entrevista: Joana Garoupa (diretora marketing

O mercado dos festivais de música em Portugal, nomeadamente os de maior dimensão ou mediatismo, são regidos por ciclos dependentes da presença e interesse das marcas. Num país pequeno em termos de população e número de empresas de grande dimensão estes ciclos são balanceados pelas flutuações, apostas ou retrações destas. Se uma reforça a sua posição, a concorrente reforça a mesma também em festivais concorrentes, foi assim com os bancos (na primeira década dos anos 90, na venda de bilhetes exclusiva nos grandes concertos), foi assim com as cervejeiras (na segunda década dos anos 90), foi assim com as empresas de telecomunicação (nos primeiros anos deste século) e será assim talvez com as empresas de energia. Quisemos explorar esta temática e perceber o alcance da aposta nos festivais por parte da Galp na atualidade falando com Joana Garoupa, a diretora de marketing e comunicação.