Artigo Científico: Gestão de risco para eventos e festivais

O impacto e a incidência de fatores de risco em eventos e festivais tem vindo a aumentar ano após ano, facto que agora tão bem é percecionado pela imposição da atualidade. A gestão de risco e o caráter de imprevisibilidade neste setor, obriga aos seus responsáveis, a pensar mais na sua prevenção.


Para o desenvolvimento económico de um país, é de extrema importância que as indústrias mais recentes, surgidas nos últimos anos se desenvolvam tanto a nível nacional como a nível local. Uma das indústrias do futuro e com mais potencial de crescimento é sem dúvida a área dos eventos e festivais, que no caso de Portugal e países desenvolvidos, representa uma grande percentagem de fonte de receitas do país.


O artigo científico analisado (publicado pela Bucharest University of Economic Studies) estuda a atual situação na gestão de risco no setor dos festivais e quais os riscos de maior relevância enfrentados pelos seus organizadores, enquanto são analisadas as etapas de gestão de risco específicas a este tipo de eventos.


O impacto económico e social dos festivais e eventos tem crescido acentuadamente nos últimos 20 anos. Foram construídas empresas bastante lucrativas na Europa Central e Ocidental (e.g. ID&T), bem como nos EUA (e.g. Live Nation), empresas estas baseadas principalmente na indústria da música eletrónica (mas não só). Segundo o estudo analisado, um exemplo é o Festival Coachella, que em 2016 teve uma receita de 704 milhões de dólares. Desse total, 106 milhões de dólares foram investidos na área onde o festival está organizado e 3,18 milhões de dólares chegaram ao orçamento local apenas com as taxas cobradas pelos bilhetes.


Créditos fotografia: Pinterest


Concertos locais, festivais internacionais de música e cinema, festivais nacionais, eventos desportivos são apenas alguns tipos de eventos que surgiram e vão surgindo todos os dias no mercado. Além da importância económica e dos benefícios financeiros e sociais que eventos e festivais têm, envolvem muitos riscos. Para maximizar a probabilidade de alcançar resultados predefinidos, é necessário ter uma gestão de riscos apropriada ao contexto do evento ou festival. A literatura especializada propõe diferentes modelos de gestão de riscos para eventos e festivais - as diferenças são os riscos analisados, assim como as causas comuns. As categorias diferem dependendo do tipo de evento:

  • Riscos administrativos - passa pelos riscos de gestão do: sistema, tempo, recursos humanos ou de compras. Um exemplo pode ser a falta de um número mínimo de voluntários para as tarefas complementares de produção;

  • Riscos financeiros - O seu impacto é tanto mais considerável quanto maior a dimensão do evento, principalmente se estes forem novos festivais;

  • Riscos de marketing