top of page

O porquê do consumo de álcool em festivais? Análise de artigo científico

O consumo de álcool em concertos e festivais é uma realidade global a que Portugal não escapa. É algo de tal forma normalizado que a venda deste tipo de artigos nos recintos de espetáculo faz parte da cultura e requisitos do público. Porém, nunca existiu uma consciente reflexão sobre o porquê de tal acontecer.

Segundo os estudos anuais do “Perfil do Festivaleiro Português em Festivais de Música” da autoria da APORFEST e apresentados no Talkfest, a maioria do público presente nos festivais portugueses está na faixa etária entre os 17 e os 24 anos. Tendo em conta este fator e ao peso da amostra, é necessário compreender as formas e motivações de consumo de álcool e como é que estas poderão ser concretizadas em concordância com a atual legislação.


O artigo cientifico “Why do we drink alcohol at concerts? An exploration into the relationship between alcohol and live music settings”, realizado por Mia Fagervoll (2023) revela alguns dados importantes sobre o tipo de consumo e as diferentes motivações do público em contexto de música ao vivo. Através de uma recolha de dados primários, cruzados com uma revisão e estudo psicológico sobre os hábitos de consumo de álcool e música, este estudo mostra diferentes motivos que explicam a coexistência de ambos os conceitos. Assim, é possível analisar um estudo completo que alia o consumo de bebidas alcoólicas com a facilidade de socialização e de diversão do público, que do ponto de vista da sociologia, marketing e psicologia são úteis a qualquer um que pretenda entender melhor estas formas de consumo e os seus visitantes festivaleiros - nomeadamente promotor, parceiros e marcas de bebidas como parte interessada claro. Um artigo com o estado de arte atual e oportuno que se alinha com a atualidade de preocupação com o consumo de bebidas alcoólicas nos recintos de espetáculo, mas que vai além, explorando as suas motivações para este acontecimento.


De referir que em Portugal a última atualização à Lei que regulamenta a Venda de Álcool data de 2015, tendo sido os festivais de música os locais com maior mediatismo na sua correta aplicação. Passados 8 anos, esta lei, é cumprida, existindo diferentes formas de verificação do público como no Meo Kalorama (deste ano) em que o público em geral que mal passava o portão de entrada, era abordado por um dos vários promotores com pulseiras invioláveis laranjas para colocar nos festivaleiros maiores de idade (+ de 18 anos), incentivando-o a beber com moderação ao longo da sua permanência no recinto. Antes da sua saída este poderia também realizar Testes de alcoolemia de forma a consciencializá-lo dos melhores comportamentos a ter no pós-festival e regresso a casa.

Créditos: Jornal Público



Este artigo científico, em versão completa, está disponível na área reservada aos associados (de todas as modalidades), para consulta.


Links a consultar de apoio ao artigo científico: https://www.aporfest.pt/single-post/2015/06/30/Alteração-à-lei-de-venda-de-álcool-entra-em-vigor-a-1-de-julho-e-afetará-os-festivais

https://www.hiper.fm/pulseira-obrigatoria-para-comprar-beber-bebidas-com-alcool-nos-festivais-de-verao-em-portugal/

https://media.rtp.pt/agoranos/artigos/nova-lei-do-alcool-ja-entrou-em-vigor

https://www.publico.pt/2015/07/18/sociedade/noticia/nova-lei-do-alcool-nos-festivais-uma-pulseira-e-pouco-mais-1702407 (imagem)

https://www.publico.pt/2018/08/22/sociedade/noticia/mais-de-60-menores-identificados-por-consumo-de-alcool-em-festivais-asae-1841742


Opmerkingen


Notícias em destaque
Notícias recentes
Arquivo
Procura por Tags
Segue-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page