ENTREVISTA: Comunicar os festivais, por Salvador da Cunha (CEO Lift World)

Chegámos à fala com o máximo responsável da Lift, Salvador da Cunha. Este defende uma consultora vocacionada especializada na área da comunicação, dando suporte em vários projetos de grande dimensão, destacando-se o Rock in Rio Lisboa, desde a sua primeira edição. Foi então este o mote para uma pequena entrevista.

Salvador da Cunha.jpg

APORFEST: Se é verdade que existem muitos festivais em Portugal [156 festivais em 2014, segundo o estudo do Talkfest], também é possível dizer que o tamanho e mercado dos mesmos e muito reduzido. Como é a vossa análise dos festivais em Portugal?

Penso que os festivais de música surgem e intensificam-se como parte do novo paradigma do negócio da música. É hoje uma das principais formas de monetização dos artistas, quando há 15 anos atrás era a venda de CD’s. Dos 156 festivais que falam, há meia dúzia que são grandes festivais, outra dúzia que são médios e depois há muitos festivais mais pequenos, de nicho. Apenas os grandes festivais, como o Rock in Rio, têm de facto orçamento para contratar serviços como o nosso, que envolvem a gestão da comunicação durante um ano inteiro e, no evento, a presença de centenas de jornalistas.